quarta-feira, 27 de maio de 2015

O aplauso (de Alma Welt)

"Alma, minha guria, não te arrisques
A mostrar teu outro lado da moeda,
E com teu belo perfil somente fiques,
Por quê praticar o voo e a queda?"

Assim rezava minha mãe, a Açoriana,
Com a minha teimosia inconformada
Que me fazia ir além da Taprobana,
"Em perigos e em guerras esforçada"...

Mas não daria tempo pra a virada
Do mundo que criei da minha mente,
E ela morreria sem ver nada.

E agora, de repente, reconheço
Em minha mãe primeiro ser vivente
De quem queria aplauso e não o terço...